DestaqueEducação

UEG Porangatu perde dois cursos

Não serão mais oferecidos na unidade, os cursos de Sistemas de Informação e Ciências Biológicas.

Centenas de aprovados no vestibular 2020/1 da Universidade Estadual de Goiás – UEG, foram surpreendidos nesta sexta-feira (28), com a divulgação do encerramento de várias turmas de cursos que seriam oferecidos nas cidades/unidades/campus que eles optaram para cursar.

Esta é apenas uma das questões que possíveis acadêmicos, acadêmicos, gestores e professores procuram se adaptar em meio a tantas mudanças que vem sendo implantadas desde o ano passado, sendo considerada a maior reestruturação já feita na universidade.

Acadêmicos haviam se manifestado quando não haviam disciplinas ofertadas em alguns cursos.
Acadêmicos haviam se manifestado quando não haviam disciplinas ofertadas em alguns cursos. Foto: Reprodução

Todos concordam com a necessidade da reforma administrativa proposta, mas questionam pontos que tem trazido transtornos nas unidades. Os primeiros questionamentos começaram com o lançamento do novo formato do vestibular que sinalizava o encerramento de novas turmas em qualquer unidade, caso não atingissem a demanda proposta pela comissão.

Com isso, os aprovados tiveram que, obrigatoriamente no ato da inscrição fazer sua opção de unidade/campus para que sua matrícula pudesse ser confirmada e que, culminou no sentimento de desilusão por parte daqueles que se dedicaram aos estudos vislumbrando estudar na própria cidade ou em uma mais próxima, onde quando se inscreveram o curso era ofertado.

Acadêmicos?

É o caso de Guilherme Souza, 18 anos, aprovado para Sistemas de Informação e que optou por cursar na unidade em Porangatu. As unidades mais próximas que oferecerão as turmas ficam a 200 km, em Ceres ou Goianésia.

“Eu acho isso revoltante. Eu, como muitas pessoas, paguei, estudei, me esforçando ao máximo pra conseguir passar no vestibular. Agora fiquei sabendo que não terá o curso em Porangatu e isso é um absurdo porque muitas pessoas como eu, não tem condições de morar em outra cidade e estamos com nossos sonhos prejudicados. Eu queria que eles resolvessem isso pra eu estudar”, comentou o jovem.

Tallyta Wadynie de Trombas, 80 km de Porangatu, aprovado em Ciências Biológicas disse que não esperava que a nova turma não fosse aberta. A unidade mais próxima onde o curso será oferecido, ficam aproximadamente 400km, em Anápolis.

“Foram deslocamentos e outros gastos a outra cidade, perda de tempo, de dinheiro, preocupação, noites de sono perdido, nervosismo e agora estou aqui, sem destino. O meu sentimento é de ódio, indignação, insegurança e acima de tudo, isso é uma falta de respeito. A faculdade, ela define o nosso futuro e essa decisão dificulta muito a minha vida e das outras pessoas que estão passando por isso”, desabafou.

Em alguns Campus/Unidades não constam lista de oferta de cursos em 2020 como Crixás e São Miguel do Araguaia, entre outras. O total de turmas oferecidas em 2019 eram de 143 e para 2020, 100 turmas. Os maiores cortes foram nas turmas de licenciaturas (60%) e tecnológicos (50%). Bacharelado ficou com 93% de permanência.

Em entrevista exclusiva no jornal A Nossa Voz da Rádio Nova Era FM, emissora da Rede Serra Azul, o diretor do Instituto Acadêmico da Saúde e Biológicas, Antônio Cruvinel, disse que os cursos não acabaram, pois os que estão cursando poderão concluir seus estudos e há a possibilidade do próximo vestibular ser reelaborado.

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar